Feb 05, 2023

Trabalhadores dos Correios rejeitam proposta de 3% de reajuste apresentada pela ECT

 

Aconteceu no começo desta semana, em Brasília (DF), uma nova reunião entre a Fentect, e o Comando Nacional de Mobilização e Negociação dos Trabalhadores, e a ECT. Inicialmente, os trabalhadores apresentaram à ECT a resposta da categoria de rejeição à proposta ridícula de 3%. A decisão da categoria foi tomada através do Quadro de Assembleias realizadas entre os dias 08 e 16 de agosto pelos sindicatos, que também repudiaram a atitude dos negociadores da empresa e a violência ocorrida na assembleia de São Paulo no último dia 25 de Julho.
Por incrível que pareça, um dos negociadores da ECT teve a dissimulação de se surpreender com a rejeição da proposta de 3% pelos trabalhadores. Como se não bastasse a proposta rebaixada, isso demonstra a total falta de respeito com a decisão da categoria.
Logo em seguida, os negociadores da ECT disseram que não tinham outra proposta e que "analisaram" todos os itens da pauta de reivindicações dos trabalhadores, entregando um caderno com a análise das mesmas. Ao observar essa análise, os trabalhadores perceberam que na maioria das cláusulas estava escrito, como resposta, "mantém-se o acórdão do TST". Com isso, caiu de vez a máscara da empresa, onde ficou claro o que a Fentect vem dizendo desde o início das negociações, que o interesse dos gestores é somente reeditar o acórdão do TST, se negando a negociar as reivindicações dos trabalhadores.
O companheiro Reinaldo de Jesus, um dos componentes do Comando Nacional de Negociação, criticou os representantes da ECT por não discutir vários assuntos de interesse da categoria, como saúde do trabalhador, questão racial, a questão da mulher ecetista, segurança, etc. Os gestores responderam que propõem fazer mesas temáticas a respeito de vários assuntos pendentes, o que na ótica dos trabalhadores é mais uma enrolação, visto que em outros acordos se comprometeram da mesma forma e não cumpriram.
A Fentect e o Comando de Negociação dos Trabalhadores defendem a continuidade da negociação com seriedade, reforçando que com a reunião ficou bem claro que a ECT nunca teve interesse de negociar de fato, sempre forjando reuniões para querer reeditar o acórdão do TST.
É preciso que os trabalhadores lotem a próxima assembleia dos seus sindicatos, marcada no calendário de lutas para o dia 30 de agosto, onde deverão estar mobilizados e mostrar à ECT que querem ser ouvidos em suas reivindicações.

 

CUT

Aconteceu no começo desta semana, em Brasília (DF), uma nova reunião entre a Fentect, e o Comando Nacional de Mobilização e Negociação dos Trabalhadores, e a ECT. Inicialmente, os trabalhadores apresentaram à ECT a resposta da categoria de rejeição à proposta ridícula de 3%. A decisão da categoria foi tomada através do Quadro de Assembleias realizadas entre os dias 08 e 16 de agosto pelos sindicatos, que também repudiaram a atitude dos negociadores da empresa e a violência ocorrida na assembleia de São Paulo no último dia 25 de Julho.

Por incrível que pareça, um dos negociadores da ECT teve a dissimulação de se surpreender com a rejeição da proposta de 3% pelos trabalhadores. Como se não bastasse a proposta rebaixada, isso demonstra a total falta de respeito com a decisão da categoria.

Logo em seguida, os negociadores da ECT disseram que não tinham outra proposta e que "analisaram" todos os itens da pauta de reivindicações dos trabalhadores, entregando um caderno com a análise das mesmas. Ao observar essa análise, os trabalhadores perceberam que na maioria das cláusulas estava escrito, como resposta, "mantém-se o acórdão do TST". Com isso, caiu de vez a máscara da empresa, onde ficou claro o que a Fentect vem dizendo desde o início das negociações, que o interesse dos gestores é somente reeditar o acórdão do TST, se negando a negociar as reivindicações dos trabalhadores.

O companheiro Reinaldo de Jesus, um dos componentes do Comando Nacional de Negociação, criticou os representantes da ECT por não discutir vários assuntos de interesse da categoria, como saúde do trabalhador, questão racial, a questão da mulher ecetista, segurança, etc. Os gestores responderam que propõem fazer mesas temáticas a respeito de vários assuntos pendentes, o que na ótica dos trabalhadores é mais uma enrolação, visto que em outros acordos se comprometeram da mesma forma e não cumpriram.

A Fentect e o Comando de Negociação dos Trabalhadores defendem a continuidade da negociação com seriedade, reforçando que com a reunião ficou bem claro que a ECT nunca teve interesse de negociar de fato, sempre forjando reuniões para querer reeditar o acórdão do TST.

É preciso que os trabalhadores lotem a próxima assembleia dos seus sindicatos, marcada no calendário de lutas para o dia 30 de agosto, onde deverão estar mobilizados e mostrar à ECT que querem ser ouvidos em suas reivindicações.

 

 




Facebook