Nov 20, 2017

CUT-RS e centrais promovem abraço à Justiça do Trabalho e ato unificado na Esquina Democrática contra antirreforma trabalhista nesta sexta

Ato na Refap a partir das 7h

A CUT-RS e centrais sindicais realizam nesta sexta-feira (10) um dia nacional de paralisação e mobilização, às vésperas do início da vigência em 11 de novembro da lei 13.467, a chamada “reforma” trabalhista, e sob ameaça do governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB) de votação da “reforma” da Previdência no Congresso.

Pela manhã, a CUT-RS organiza paralisações das categorias em luta e promove uma plenária extraordinária de mobilização, das 10h às 14h, no salão da igreja da Pompeia (Rua Barros Cassal, 220), em Porto Alegre.

À tarde, junto com as centrais sindicais, será realizado, às 16h, um abraço simbólico à Justiça do Trabalho, na Avenida Praia de Belas, em frente ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT-RS), seguido de uma caminhada até a Esquina Democrática, onde acontecerá um ato unificado das centrais, às 18h, contra as “reformas” trabalhista e da Previdência e a portaria do trabalho escravo, suspensa por liminar da ministra do STF, Rosa Weber, em defesa da Justiça do Trabalho e por nenhum direito a menos.

“Esse governo golpista de Michel Temer (PMDB), rejeitado por quase 90% da população, está provocando um retrocesso sem precedentes na história do país. Congelou investimentos em saúde e educação por 20 anos e aprovou uma lei que retira direitos trabalhistas, conquistados com muita luta pela classe trabalhadora, além de tentar enfraquecer os sindicatos e acabar com o acesso gratuito à Justiça do Trabalho”, afirma o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

Para ele, “temos que resistir, lutar e acordar o Brasil para mostrar ao Temer e ao Congresso Nacional que não vamos pagar o pato e que não aceitamos a precarização do trabalho, mas queremos emprego decente e nenhum direito a menos”.

Facebook